terça-feira, 23 de setembro de 2008

e hoje?
hoje serás a minha estrela intranquila
a alvorada que rasga o casulo sedento das horas
e dentro do teu silêncio ponho todos os meus sonhos
toda a minha alegria
toda a minha força alada
até que de dentro se desfaçam
as muralhas do medo e da tristeza
e todo eu serei
neste dia
a inquietação e a aventura
levar-te-ei além do sol
nos corcéis que eram almas antes do encontro
e sei o que está no paraíso
tudo arde na imensidão de um sorriso
e hoje serás o que quiseres
vitoriosa

1 comentário:

Sereia* disse...

Que mais se pode querer a quem se ama com tudo o que é alma, e vida, e paz, e inquietação ?

Lindo este poema!

Que essa fonte de Espírito Santo nunca deixe de brotar essa inspiração divina.

Momento iluminado e alumiado em que se transforma e se desmaterializa... em palavras escritas por um Ser.

Beijos de Sereia*