Nem sim

nem não

apenas a alvura espessa

da escuridão

que as almas em espirais

de fumo e ilusão

adormenta

a visão suja

e pardacenta

de ter a vida

como coisa emprestada

a boiar sem as estrelas

ou o bolinar do sol

por entre a mordência dos dias

só a antevisão da roupa suja

depois das horas gretadas

de insatisfação

e do retorno das manhãs iguais

com chuva ou sem chuva

com nevoeiro ou sem nevoeiro

com solidão ou sem solidão

quando o mar de ser homem

está chão

e os ventos do Sul

já não são chamamentos

para a perdição

de não ter amarras

valerá a pena

dizer sim ou não?

Comentários

Mensagens populares