quarta-feira, 10 de setembro de 2008



o mundo inteiro é uma espera
um lençol do mais fino linho
sudário e toalha
frio resguardo
e lá no fundo
à beira do horizonte de eu estar no mundo
a última estrela desvanece-se contra o azul claro
da madrugada que há por haver luz
mesmo antes do sol ressuscitar
e sei
que a alma da serra
cabe num coração de homem
e é maior que todo o firmamento
e tem um sorriso de não ter sido

Sem comentários: