terça-feira, 25 de novembro de 2008

o Sol em mim




solto-me em labaredas de espanto
incendeio-me de não me conter
nas paredes do desencanto
a que os outros chamam viver
sou um com o nada
que torna os fins em madrugada
e faço tudo o que é preciso
para conter no peito
o ígneo efeito
do sol do teu sorriso

Sem comentários: