sábado, 13 de dezembro de 2008

o anjo do fim


(A propósito do centenário de Messiaen).

o teu anjo
o canto de todos os pássaros
no cristal da escuta
condensado de fim e madrugada
o encontro
de todas as feridas que de si se rasgaram
cobertas do sal da continuação
em flores se retomam nos jardins da aurora
são livres ânsias que a escuridão envolveu
na frialdade dos tempos
é chegado
o fim que não dura nem é nem permanece
o fim que aos olhos vem em claridade e anunciação
o teu anjo
para sempre diante dos homens que se vivem
dos homens que não se recusam
para sempre
o canto de todos os pássaros
no cristal da saudade retomada
força secreta que se expande pelo espaço
já recoberto de luz repleta

Sem comentários: