sábado, 21 de fevereiro de 2009

escuta




dissolve-se no mar
o sol
o metálico da trompa dos recomeços
a anunciar a travessia aos que estão idos
os pés no frio encontram os rumores das rotas seminais
à beira da partida
são terminais as alvíssaras da treva
interior e sem o que a estanque
a ferida de existir
o rasgão de ter que sim
todas as promessas se vão com as marés
só fica do sal do agora a mordência e o impossível

Sem comentários: