domingo, 24 de maio de 2009

pela luz



pela luz
a cegueira aquosa de ser alguém
sobe e dissolve-se no ar vazio
hálito de depois
o que resta dos anseios o que fica da ilusão de ser até ao fim
é sem sofrimento a dor mais funda
a disslução da incompletude

Sem comentários: