sábado, 22 de agosto de 2009

...




na brevidade
dança leve solta aquática
a atenção desalma-se e entranha-se
rasga-se o véu do contentamento
é sem sombras adversas o esquecimento
a frescura do chão inundado de tristeza
a fechadura do coração levantado de firmeza
a abertura da contemplação que alucina
magnética atracção do impossível

1 comentário:

Iolanda Aldrei disse...

Linda esta casa nómada de peregrino.
Profundas as palavras na mesma terra da tristeza que chega a nós como a chuva para lavar e fecundar os campos, para nos entregar dons de flor para nascer.
Beijinhos