A luz de sempre

óbidos

a luz o canto da treva

semeia de claridades soltas

o chão e as paredes da minha aldeia íntima

é lá que vivo a perdição

em quietude e alegria aconchegante

não tenho nada para além disso

limito-me a ser um pastor sem rebanho

com vales e montes na memória de estar vivo

e a ideia do fim da terra

em rebordos de impossível

como estrela

que aponta a direcção

do improvável

Comentários

Mensagens populares